Comissão da Igualdade celebra Dia Internacional da Luta Campesina

16/04/2018

Em um momento político de ameaça incisiva ao regime democrático no Brasil, o deputado estadual Bira Corôa Lula da Silva presidiu, nesta manhã (16.04), um ato bastante representativo para a luta por justiça e igualdade ao reunir dirigentes, membros do Movimento Sem Terra (MST/BA), representantes do Governado do Estado e a sociedade civil no Plenário da Assembleia Legislativa, onde aconteceu, por iniciativa do seu mandato, pelo terceiro ano consecutivo, a sessão especial em celebração ao Dia Internacional da Luta Campesina. Atividade rememorou ainda os 22 anos do Massacre de Eldorado dos Carajás, o assassinato de Marcio Matos - em janeiro deste ano -, além de destacar as injustiças da prisão do ex-presidente Lula. As palavras de ordem #LulaLivre permeou toda a sessão.

 

"O verdadeiro proponente deste ato são vocês, que dia a dia lutam pelo direito à terra", disse Bira Corôa aos membros do MST no início de sua fala. "A luta pela terra não é privilegio de alguns, mas um direito fundamental. O nosso processo histórico escancara que as terras brasileiras foram usurpadas, tomadas na base da força dos grandes monopólios e grandes latifúndios, pela especulação imobiliária e outras violências. Por isso, é válido repetir que a reforma agrária continua sendo urgente e necessária e se constitui numa importante base para um Brasil justo e cada vez menos desigual", completou o parlamentar.

 

Representando a direção estadual do MST, Dejacira Araújo ressaltou os desmontes das políticas sociais voltadas ao homem e à mulher do campo, bem como a crescente violência e número de homicídio de lideranças a partir do ano de 2016, pós golpe que tirou do poder a presidenta Dilma Rousseff. "Com Lula e Dilma experimentamos políticas públicas de demarcação de terras. Hoje revivemos um estado de vergonha social e de contradição. Vivemos num país de terra abundante, de mão de obra farta e somos obrigados a ver a população sofrendo. Estamos dispostos a seguir em luta contra os projetos de morte, como o envenenamento dos nossos alimentos, o comprometimento do meio ambiente. Só vão acabar com o MST no dia que fizerem a reforma agrária", disse.

 

Já Tássio Brito, chefe de gabinete do deputado federal Valmir Assunção também pontuou a atual conjuntura política nacional do Brasil. Segundo ele, é um momento de reflexão para a luta, para a luta da esquerda. "Estamos vivendo um forte recrudescimento contra a luta popular, no campo e na cidade".

 

A mesa contou ainda com a presença de Itana Suzart, do levante Popular da Juventude; Marivaldo Dias e Raimundo Bujão, representantes da Serin e Sepromi, respectivamente. Também fizeram intervenção Deyvid Bacelar, o qual ressaltou a luta dos petroleiros frente a tentativa de desmonte e privatização da Petrobrás e Tião, da coordenação estadual do MST Bahia, que falou sobre as ocupações nas regiões sul e extremo sul.

PT - Partido dos Trabalhadores

Gabinete: Deputado Estadual Bira Corôa, sala 106, ALBA/CAB • 71 3115-7150 / Fax 71 3115-5539 • biracoroa@alba.ba.gov.br

Espaço 13: Av. Eixo Urbano Central, 1110, Bairros dos 46, CEP: 40.800-000 - Camaçari/BA - Tel.: 3627-3013